h1

Egito: Cairo

abril 2, 2010

Definir o Cairo em poucas linhas é uma tarefa árdua, e provavelmente impossível. O número de pessoas e carros nas ruas é inimaginável, e frequentemente pessoas lhe abordam para vender coisas – mesmo quando aparentemente não é um vendedor, acredite, é um vendedor. Atravessar a rua é uma aventura, há poucos semáforos e eles não parecem fazer muito sentido, além disso o ar da cidade é extremamente pesado e poluído, somado a poeira constante em toda a parte, e o sol que nunca dá descanso. Isso tudo é um preço pequeno para visitar um dos centros do planeta, com mais de 20 milhões de habitantes e contrastes que desafiam qualquer mente.

Se você acha que vive ou já visitou uma cidade que nunca para, pense novamente no assunto caso nunca tenha vindo ao Cairo. É possível sair as 2hs da manhã e comprar um par de sapatos ou comida para o cachorro. Há uma energia constante, e a cidade funciona 24/7. Há lixo, poeira e barulho por toda a parte e mesmo assim as pessoas parecem felizes e bem humoradas.

Para explorar o Cairo são necessários alguns dias, isso sem contar a visita básica as pirâmides de Giza. Os contrastes já mencionados vão das ruas largas e relativamente organizadas do centro (downtown), passando pelos túneis do centro velho (coptic cairo), pelas ruas estreitas e sujas do bairro islâmico até o topo da cidadela medieval. Mas isso ainda é pouco para ilustrar tantas diferenças. Há a cidade dos mortos, onde famílias ocupam casas dentro do que ainda é um cemitério, ou um bairro que funciona basicamente como um centro de reciclagem da cidade. Andar pela cidade exige um bom guia e muita malandragem para escapar dos mais diversos tipos de enganação e ludibriagem empregada pelos locais.

O Cairo não é uma cidade qualquer e certamente tem o poder de despertar amor e ódio no visitante, ou ambos em diferentes circunstâncias. Mas, acima de tudo, é um lugar para se visitar, talvez mais de uma vez se a cidade te conquistar.

Notas

– O Egito é um país muito barato, mas os preços sobem quando se visita as atrações turísticas – e ainda, de cara, é enganado por um ou outro. Carteira de estudante internacional ajuda bastante a minimizar os gastos.

– O “Egyptian Museum” é uma atração a parte. É preciso muitas horas e dias para ver tudo o que está em exposição e não ajuda muito o fato de que a organização não é clara. É essencial contratar um guia ou dispor de um livro explicando cada área. Mesmo para quem não gosta de museu, é difícil não ficar impressionado com, pelo menos, a área das múmias e dos tesouros.

– Ser ludibriado no Cairo é extremamente fácil. Não acredite em ninguém, não acredite em hospitalidade e generosidade. É triste mas é fato, a maioria só está lhe tratando bem porque tem algum interesse. Não aceite nada sem saber o quanto vai pagar antes, negocie o preço do taxi, negocie TUDO. Geralmente o preço oferecido é 3x mais o que realmente vale. Mesmo em museus ou atrações, se alguém oferecer um ticket ou qualquer coisa, peça pelo comprovante antes de pagar. Mas tenha certeza, por mais esperto que seja e dicas que tenha recebido, alguém vai te enganar.

– Apesar de toda a pobreza espalhada pelos subúrbios e de muitos tipos estranhos e suspeitos a primeira vista, a cidade é segura e passa essa sensação o tempo todo. Andando por todo tipo de lugar, nunca tive a menor sensação de que alguém poderia me roubar ou qualquer coisa do gênero, mesmo durante a noite. No entanto, como eu disse antes e vale frisar, tem sempre alguém querendo enganar.

– Boas desculpas para fugir dos pilantras, incluem:
“Essa é minha terceira visita ao Cairo, eu conheço bem como as coisas funcionam.”
“Eu moro aqui e estou mostrando a cidade a meu amigo, não preciso de ajuda.”
“Não, não, não… não.”

Essencialmente, mesmo se estiver perdido, demonstre confiança. Não acredite em convites para festas, em especial certas histórias sobre festa de casamento no dia seguinte, histórias sobre tickets alternativos, ou qualquer coisa assim. Enfim, é um pouco ruim dizer isso, mas não seja legal com as pessoas. E não deixe que isso estrague sua viagem ao Cairo!

– Petra ao Cairo: Enquanto planejava a viagem, tive poucas informações sobre este trajeto. Mas basicamente é possível fazê-lo e bem fácil. A melhor maneira é cruzar a borda entre Aqaba na Jordânia com Eilat em Israel – e a melhor forma de fazê-lo é passando a última noite em Aqaba, daí um taxi até a fronteira (5JD). Da parte israelita outro taxi até a fronteira com Taba (50 shekels), e finalmente em Taba 1km a partir da fronteira tem a estação de ônibus. East Delta Bus têm 3 a 4 ônibus por dia ligando Taba ao Cairo, que custam cerca de 80 Libras egípcias. O primeiro parte as 10h30 da manhã, mas há muitos motoristas de minibus que oferecem a viagem por cerca de 700/800 libras, divididas entre os interessados. É um pouco arriscado, os caras dirigem o tempo todo a 150km/h numa estrada que muitas vezes é ruim e cheia de curvas. Foi a maneira que eu fiz, mas foi uma viagem bem tensa. O ônibus leva até 8 horas, o motorista particular levou 5h30.

One comment

  1. Gostei bastante do seu blog, e estou querendo ir ao Egito.
    Você poderia passar mais informações, como por exemplo, como achar um guia confiável?

    Att.



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: