h1

Israel: Mar Morto, Massada e Ein Gedi

março 23, 2010

Boiar no mar morto com os pés para o alto lendo um jornal é o típico clichê de uma viagem ao Oriente Médio/Israel. Mas diferente de certas bobagens que se tornam clichês essa é uma experiência extremamente válida e uma das coisas mais legais de se fazer quando viajando por Israel ou Jordânia e algo que não pode ser feito em nenhum outro lugar do mundo.

O Mar Morto localiza-se numa inóspita região e está parcialmente dentro da área da Cisjordânia. É o ponto mais baixo do planeta, a 400 metros abaixo do nível do mar e se extendendo por aproximadamente 65km por 18km. Uma das maneiras mais baratas, porém não muito relaxante, de ir até lá é pagando uma das dezenas de operadoras de turismo locais que oferecem o pacote. Os passeios costumam sair de Jerusalém por volta das 3.30 da manhã, e levam o turista inicialmente até Masada a tempo de ver o nascer do sol, depois até Ein Gedi para nadar no Mar Morto, finalmente uma breve parada no oasis de Ein Gedi e por fim outra parada em Qumran, o lugar onde foram encontrados os manuscritos do Mar Morto. Por volta das 3 da tarde já se está de volta a Jerusalém.

Uma das mais impressionantes atrações envolvendo esse passeio é certamente Massada. É um montanha solitária no deserto, e no topo uma espécie de platô onde se encontram as ruínas de um antigo forte, símbolo da resistência dos judeus a invasão romana. Ver o nascer do sol por trás das montanhas é um momento impressionante, sem contar a escalada até o topo – que não é das mais fáceis. É definitivamente uma experiência a ser vivida.

Por fim a reserva natural de Ein Gedi é perfeita para aventureiros amadores e vale para quem nunca teve a chance de visitar um oasis. Uma série de cachoeiras, cercadas de muito verde encravada no meio do deserto. A maioria das trilhas são simples e fáceis, mas existem duas ou três que exigem um pouco mais e não são recomendadas no meio do dia. As trilhas que levam até o topo oferecem uma grande visão do vale e do Mar Morto.

Dicas

– Quando se está a mais de 400 metros abaixo do nível do mar e no meio de um deserto não se pode esperar uma experiência ordinária qualquer. Embora a temperatura seja alta e o sol brilha quase 300 dias no ano, a pressão atmosférica filtra bem os raios ultravioletas e é quase impossível receber alguma queimadura severa por exposição prolongada ao sol. Entretanto o protetor solar continua recomendado.

– A desidratação é o maior perigo quando se visita o Mar Morto. É quase essencial ter um chapéu e óculos escuros e beber muita água constantemente. Recomenda-se um litro de água a cada hora.

– Boiar no Mar Morto é uma experiência única, mas devido ao alto nível de sal nas águas, recomenda-se o banho por apenas 25 minutos. Embora essa recomendação é quase desnecessária, pois após uns 5 minutos no mar já é possível sentir um certo incômodo em algumas partes do corpo. Após o banho siga direto para as duchas.

– Finalmente recomenda-se tomar cuidado com seus pertences em Ein Gedi, relatos de furtos na área são quase comum. Não se espante também ao ver banhistas nus, particularmente homens.

– Qumran é razoavelmente interessante, mas é mais uma parada para vender produtos milagrosos feitos a base de componentes únicos da região. Se o tempo estiver curto, opte por ir até Jericó ao invés de Qumran.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: