h1

Próxima Parada – Oriente Médio (3/3)

fevereiro 28, 2010

Egito

Um museu a céu aberto, uma terra de patrimônios da humanidade e milhares de outros clichês turísticos, o Egito atrai hoje tantos visitantes quanto o fazia há milhares de anos. Monumentos fantásticos estão em todos os lugares, as pirâmides de Giza e o Vale dos Reis em Luxor são “apenas” os mais populares e um dos muitos que gerações de visitantes já puderam apreciar.

Apesar de toda a graciosa simetria e ordem de seus templos e monumentos,  o país não se encontra em uma situação muito confortável. Desemprego é alto, a economia está completamente fora dos trilhos e ataques terroristas acontecem cada vez com maior regularidade. Uma vez residência de faraós, o país hoje se encontra completamente dependente dos EUA, recebendo mais de 2 bilhões de dólares anuais em ajuda militar e econômica. E a lista vai longe com casos de policiais torturando prisioneiros, crianças trabalhando em indústrias, opositores sendo presos sem qualquer acusação, mulheres sofrendo discriminação constante, alta inflação e o meio-ambiente em constante abuso, com águas poluídas, superpopulação, entre outros males.

O Egito hoje tenta conter seus conflitos internos e finalmente formar a sua identidade como uma república islâmica de caráter moderado. E claro, uma das grandes razões que tornam o Egito um destino obrigatório é o fato de que o país se encontra em constante fluxo.  Das ruas sufocantes do Cairo ao desolador deserto, os egípcios são um povo flexível que conseguem encontrar seu humor e otimismo mesmo diante de todos os problemas. Viajar o Egito não é uma tarefa simples e descomplicada, mas certamente ajuda a ver as coisas sob uma outra ótica.

Roteiro
A inclusão do Egito foi puramente acidental, ou nem tanto. Originalmente a idéia era seguir da Jordânia até a Síria, porém por complicações com visto e fronteiras a idéia se tornou impraticável e, já que se está tão perto do Egito. Com poucos dias restando para o fim das férias, após cruzar a fronteira da Jordânia com Israel e de lá com Egito, uma parada rápida na cidade de Taba e pego o ônibus para o Cairo. A partir daí estima-se que a viagem pode levar de 7 a 9 horas.

O Cairo recebe a maior parte de minha atenção com cerca de 4 dias destinados a cidade, com visitas as pirâmides, evidentemente, além de Memphis a antiga capital e Alexandria. Do Cairo sigo para o extremo sul, seguindo o Nilo, rumo a Aswan. Um dia depois é hora de ir para Luxor e depois Hurghada, aqui infelizmente a viagem termina e é de onde o avião de volta para Londres decola.


10 coisas que o viajante deve saber

– Para os padrões europeus, o Egito é razoavelmente barato, embora passeios e entrada para os monumentos elevam um pouco o preço da viagem.  O mochileiro pode esperar gastar cerca de 20 euros por dia, embora isso torne a viagem um pouco limitada. Para ver todos os lugares e melhores refeições, a média varia de 30 a 40 euros por dia.

– Viajar o país é barato, e um trem de Cairo a Luxor custa cerca de 10 euros na primeira classe, com café da manhã e almoço inclusos.

– Aprenda um pouco do idioma. Embora o inglês seja quase uma segunda língua, muitos dos sinais em estações de trem e afins estão em árabe. Na pior das hipóteses tente ao menos se familiarizar com os números em árabe.

– Alugue uma bicicleta em Luxor ao invés de fazer o passeio de taxi. Se for a Aswan opte por um passeio pelo Nilo na região.

– Não toque nas ruínas. A deterioração dos templos, pirâmides e monumentos estão em níveis críticos.

– Vista-se de forma discreta. Especialmente nas áreas rurais, as comunidades são extremamente conservadoras. Cuidado com roupas reveladoras, evite demonstrações de afeto em público e comportamento que possa ofender outras pessoas.

– Scams: embora a população seja genuinamente hospitaleira, tome cuidado particularmente em áreas turísticas. Tenha seu plano em mente e não se deixe levar pelo “hello my friend” nesses lugares, já que isso poderia ser traduzido mais como “por aqui, otário”.

– Para as mulheres uma das coisas mais desagradáveis é a quantidade de bobagem que vai ouvir dos homens. Mulheres estrangeiras viajando só podem detestar o país por conta dessa experiência. A dica é evidentemente tentar ir na companhia de amigos, mas caso não seja possível, tentar ser educada e firme inicialmente pode dar conta, caso não seja o bastante seja grossa, mas não agressiva.

– A melhor época para visitar o país é entre Dezembro e Fevereiro, mas é também a alta estação. Uma boa alternativa é visitar na primavera (Março a Maio) ou outono (Setembro a Novembro).

– Procure se informar sobre que vacinas são necessárias e o faça com antecedência. O site MD Travel Health (www.mdtravelhealth.com) tem uma boa lista de recomendações separadas por país.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: